O futebol universitário dos EUA aqui tão perto

Mais de quarenta jovens futebolistas deram tudo o que tinham em plena semana de carnaval, num relvado sintético ensopado, sob uma chuva miudinha que não arredou pé do Complexo Desportivo da Abóbada. Foi assim a captação extraordinária da Next Level Sports, motivada pela presença também ela excepcional de Shaun Harris, treinador adjunto da equipa de futebol da California Polytechnic State University.

«Vocês podiam ter-me arranjado um tempo melhor», começa por brincar o técnico norte-americano de ascendência irlandesa que terminou em território luso uma viagem de duas semanas pela Europa, com a missão de recrutar talento para o seu conjunto universitário. Apesar das contrariedades climatéricas verificadas no local, Harris declarou-se satisfeito com um treino onde «os jogadores revelaram bastante criatividade e mostraram-se disponíveis para ouvir o feedback».

As decisões finais do técnico ainda não foram conhecidas, embora seja certo que os seleccionados vão encontrar na Califórnia um projecto ambicioso, liderado por Steve Sampson, homem que já orientou os Estados Unidos, a Costa Rica e os LA Galaxy. «Todos os anos iremos trabalhar para conquistar o Campeonato da Conferência e o Campeonato Nacional, e enquanto não atingirmos isso, o nosso principal objectivo ficará por cumprir», adiantou Harris.

A era de Sampson e de Harris começou apenas na temporada passada, mas os resultados não se fizeram esperar. Logo no ano inaugural, os Mustangs – nome pelo qual é conhecida a equipa de futebol da universidade – fixaram-se no 21º lugar do ranking nacional, sendo depois afastados precocemente na fase a eliminar. Além disso, todos os quatro estudantes finalistas do plantel foram seleccionados no SuperDraft da MLS. Harris garante que qualquer um deles estará à altura dos novos desafios, ao mesmo tempo que ressalva a importância do programa universitário na formação de futuros profissionais.

Pronunciou-se igualmente sobre a rivalidade acesa que existe entre a Cal Poly e a UC Santa Barbara, capaz de reunir 25 mil espectadores na soma dos dois encontros realizados em 2015. «Já me tinham falado sobre este fenómeno, mas não sabia muito bem o que esperar. Para ser justo, é o pináculo do futebol universitário norte-americano».

O carácter pioneiro da Next Level Sports

Quem se confessou «muito orgulhoso» por receber um técnico como Shaun Harris foi Tasslim Sualehe, responsável da Next Level Sports em Portugal. «Ele é que nos contactou, dado o excelente trabalho que nós fizemos o ano passado, ao colocarmos 15 atletas nos Estados Unidos. Dois deles chegaram inclusive às meias-finais dos Playoffs». Adianta também que em 2016, o número de caloiros portugueses duplicará em solo americano.

Entretanto, o Complexo Desportivo da Abóbada tornou-se a casa oficial da Next Level Sports. Os jogadores inscritos no programa sem clube, podem treinar três vezes por semana, enquanto esperam a sua vez de atravessar o Oceano Atlântico. Tasslim Sualehe prevê a criação de uma equipa baseada em atletas da Next Level Sports, para disputar competições profissionais.

Na verdade, Portugal não possui histórico relevante no que diz respeito ao futebol universitário norte-americano, mas tudo isso parece estar prestes a mudar drasticamente. O tão afamado ‘sonho americano’ pronuncia-se cada vez mais na língua de Camões.

Fotografia: Bernardo Paixão

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.